Diferença entre países pobres e ricos

by Fabricio Stefani Peruzzo on 3/10/2005

A diferença entre os países pobres e os ricos não é a antigüidade do país.

Fica demonstrado pelos casos de países como a Índia e Egito, que tem mais de 2000 anos de Antigüidade e são pobres. Ao contrario, Canadá, Austrália e Nova Zelândia, que ha pouco mais de 150 anos eram quase desconhecidos, hoje são, todavia, países desenvolvidos e ricos.

A diferença entre países pobres e ricos também não está nos recursos naturais de que dispõem, pois o Japão tem um território muito pequeno e 80% dele é montanhoso, ruim para a agricultura e criação de gado, porém é a segunda potência econômica mundial, seu território é como uma imensa fábrica flutuante que recebe matéria-prima de todo o mundo e exporta os produtos transformados, também a todo o mundo, acumulando sua riqueza.

Por outro lado, temos uma Suíça sem oceano, que tem uma das maiores frotas náuticas do mundo; não tem cacau, mas tem o melhor chocolate do mundo; em seus poucos quilômetros quadrados, cria ovelhas e cultiva o solo durante apenas quatro meses por ano, já que o resto é inverno, mas tem os produtos lácteos de melhor qualidade de toda a Europa.

Como o Japão, não tem recursos naturais, mas dá e exporta serviços, com qualidade muito dificilmente superável; é um país pequeno que passa uma imagem de segurança, ordem e trabalho, o que o converteu na caixa forte do Mundo.

Também não está na inteligência das pessoas a tal diferença, como o demonstram estudantes de países pobres que emigram aos países ricos e conseguem resultados excelentes em sua educação.

Outros exemplos são os executivos de países ricos que visitam nossas fábricas e, ao falar com eles, nos damos conta de que não há diferença intelectual.

Finalmente, não podemos dizer que a raça faz diferença, pois nos países centros-europeus ou nórdicos, vemos como os chamados “ociosos” da América Latina (nós!!) ou da África, demonstram ser a força produtiva desses países.

O que é então que faz a diferença?

A ATITUDE DAS PESSOAS FAZ A DIFERENÇA.

Ao estudar a conduta das pessoas nos países ricos se descobre que a maior parte da população cumpre as seguintes regras, cuja ordem pode ser discutida:

1. A moral, como principio básico.

2. A ordem e a limpeza.

3. A integridade.

4. A pontualidade.

5. A responsabilidade.

6. O desejo de superação.

7. O respeito às leis e aos regulamentos.

8. O respeito pelo direito dos demais.

9. Seu amor ao trabalho.

10. Seu esforço pela economia e investimento.

Necessitamos, então, de mais leis? Não seria suficiente cumprir e fazer cumprir estas 10 simples regras?

Nos países pobres, só a mínima (quase nenhuma) parte da população segue estas regras em sua vida diária.

Não somos pobres porque ao nosso país faltem riquezas naturais, ou porque a natureza tenha sido cruel conosco, mas simplesmente, por nossa atitude.

Nos falta caráter para cumprir estas premissas básicas de funcionamento das sociedades.

Se você não repassar este e-mail, não vai morrer seu animal de estimação, nem você vai ser mandado embora do emprego, nem vai ter má sorte por sete anos e nem tampouco vai ficar doente.

Se amar seu país, faça circular esta carta para que a maior quantidade possível de gente medite sobre isto.

Se esperarmos que o governo solucione nossos problemas, ficaremos toda a vida esperando.

Quanto mais empenho colocarmos em nossos atos, mudando nossa atitude, mais rápido pode significar a entrada do nosso país na senda do progresso e bem-estar para todos…

—–

Não sei quem é o autor, recebi o texto acima por email. Se você souber a autoria, por favor me avise para que possa dar os devidos créditos. Obrigado.

{ 6 comments }

sabrina 16/04/2010 às 8:59 am

gosteiiiiiiiiiii!!!

diego 1/09/2010 às 6:51 pm

interessante a abordagem
uma boa tese

TATIANE 14/10/2010 às 11:30 am

ACHEI MUITO INTERESSANTE A RESPOSTA….

josilene 9/11/2010 às 8:03 pm

oi eu adorei muito o seu trabalho voce estar de parabens

SILVIAS SOUTO 18/12/2010 às 10:49 am

o nosso país não é pobre

karyna mafra maia 22/12/2010 às 2:45 pm

achei interessante,devemos sim amar nosso pais;e dar pulos de alegria pois para o dispeito precisa de competencia

Comments on this entry are closed.